Guarujá - Novo Mapa de Abairramento  
24/02/2007
Novo Plano Diretor Aprovado Pela Câmara em 31 de dezembro de 2006 Define o Novo Mapa do Abairramento de Guarujá

Novo Plano Diretor modifica a geografia política dos bairros, das aproximadamente 100 denominações de bairros, passam a contar agora, somente 29. Sendo 13 bairros no distrito de Vicente de Carvalho 16 em Guarujá.




A Tribuna - Sábado, 24 de fevereiro de 2007, 13:07 - TADEU FERREIRA JR.


O novo mapa do abairramento do Guarujá
Centro, Vila Edna, Vila Alice, Vila Júlia, Vila Lígia, Barra Funda, Santa Clara, Santa Cruz dos Navegantes. Tradicionais, estas e dezenas de outras localidades, apesar de enraizadas no cotidiano popular de Guarujá, deixam de existir com estes nomes, pois ganharam novas denominações com o novo Plano Diretor da Cidade, aprovado pela Câmara em 31 de dezembro de 2006. A nova lei inseriu uma série de mudanças no planejamento da Cidade, desde um novo zoneamento, passando pela alteração da política de verticalização do Município e, finalmente, o abairramento, que nada mais é que uma divisão oficial por bairros.
Determinadas mudanças foram realmente significativas. Uma delas é a extinção do Centro, comum em quase todas as cidades, que passa a ser chamado pelo nome de Pitangueiras. Ou seja, o bairro foi expandido e terá divisas com Astúrias, Enseada e Jardim Santo Antônio. Além do Centro, Pitangueiras acabou absorvendo também a Barra Funda e a Vila Maia, que abriga, por exemplo, o Hospital Santo Amaro.
Os bairros que margeiam toda a Avenida Ademar de Barros passam a ter apenas duas denominações: Jardim Santo Antônio (à direita, sentido balsa) e Santa Rosa (à esquerda). Dessa forma, deixam de existir o Jardim dos Pássaros, Jardim Helena Maria e Vila Lígia.
Áreas carentes e habitadas por comunidades de baixa renda, Areião, Vila Rã e Sossego, por exemplo, tornaram-se Jardim Mar e Céu, vizinho à Enseada. O Tortuga, no final da Enseada, também foi oficializado.
A Vila Zilda e Cachoeira, bairros periféricos fruto de invasões e próximos ao Paço Municipal, absorveram uma série de outras comunidades, como a Vila Santa Clara, Vila da Noite, e até a Vila Edna, esta de grandes proporções.
A populosa Santa Cruz dos Navegantes, reduto de pescadores, rivalizou durante anos com a denominação Pouca Farinha. Nenhuma das duas nomenclaturas vai permanecer. A partir de agora, a localidade passa a se chamar Marinas. O novo bairro compreende também a área do Cing e a Praia do Góes. Ambos os locais reúnem um grande número de marinas, por isso o batismo. Santa Cruz dos Navegantes, a partir de agora, será somente o nome da estrada que corta o bairro.
Bairros de Guarujá: Santo Antônio, Pitangueiras, Santa Rosa, Astúrias, Tombo, Guaiúba, Marinas, Enseada, Jardim Virgínia, Mar e Céu, Tortuga, Pernambuco, Jardim Acapulco, Perequê, Santo Amaro, Guararu.
Bairros de Vicente de Carvalho: Jardim Progresso, Itapema, Parque Estuário, Pae Cará, Vila Áurea, Retroporto, Jardim Boa Esperança, Porto, Conceiçãozinha, Crumaú, Morrinhos, Vila Zilda Cachoeira.
Itapema - começou a ser povoada na primeira metade do século passado
O novo Plano Diretor fez uma homenagem ao nome pelo qual todo o Distrito de Vicente de Carvalho é chamado até hoje, principalmente pelos mais antigos. A região que abriga o primeiro núcleo de povoamento do distrito foi batizada de Itapema.
A área, que começou a ser povoada na primeira metade do século passado, até então era conhecida como Pae Cará Velho. O novo Itapema englobou o Jardim Enguaguaçu, Bocaina, Vila Alice e irá hospedar o futuro Aeroporto Civil Metropolitano da Baixada Santista, já que abriga o Núcleo de Base Aérea de Santos.
Bairros que por pouco não foram extintos, Tombo e Jardim Progresso ficaram como os menores no novo mapa da Cidade. ‘‘Pela tradição da praia, resolvemos preservar o nome Tombo, e não fundi-lo às Astúrias’’, explicou o secretário municipal de Planejamento e Gestão Financeira, Mauro Scazufca.
Sítio Conceiçaõzinha desaparece - Em seu lugar surge o Porto
Outra localidade que sumiu foi o Sítio Conceiçãozinha, terreno da Codesp em área portuária que abriga uma grande favela. A partir de agora, o novo bairro chama-se Porto. A margem direita da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, onde não há loteamentos habitacionais, será o Retroporto. A população também terá de se acostumar com novos bairros que surgiram, como o Crumaú, inabitado, basicamente composto de área de proteção ambiental, formando um triângulo, limítrofe ao Morrinhos - que foi mantido - e ao Retroporto. O vizinho do Crumaú é o bairro do Santo Amaro, também formado, em sua maioria, por mata. Conforme Scazufca, este bairro ganhará evidência quando for implantado o prolongamento da Avenida Dom Pedro I, que o alcançará. A região do Rabo do Dragão, protegida em razão da vasta área verde, possui sítios e pequenos povoamentos essencialmente caiçaras, como o Cachoeira e a Prainha Branca, e passou a ser o Guararu, em alusão à serra que leva este nome.


  1