GUARUJÁ E VICENTE DE CARVALHO

Os Fatos de Hoje, Serão História Amanhã

Maio - 2007
Obra resgata trilhos de quase um século
A Tribuna - Domingo, 20 de Maio de 2007, 05:59

Trilhos encontrados a 1,5m de profundidade no canal da Avenida Francisco Arnaldo Gimenez, no bairro Santo Antônio - imagem:sousaraujo
Era para ser mais um serviço de rotina. Mas, por acaso, a Prefeitura de Guarujá resgatou quase um século de História. Durante as escavações para a desobstrução do canal da Avenida Francisco Arnaldo Gimenez, no bairro Santo Antônio, uma equipe da Regional Santa Rosa encontrou trilhos que, segundo a historiadora Mônica Damasceno, especializada na história de Guarujá, serviam de rota para troles que transportavam bananas para o Porto de Santos.
  
Produzida na maior parte do território da hoje Cidade, a banana também era distribuída à população do então Distrito de Paz, elevação concedida a Guarujá em 1923. Os trilhos, assentados a cerca de 1,5 metro em relação ao asfalto que os recobre atualmente, remontam a um cenário de pelo menos 90 anos atrás.
  
De acordo com Mônica, era muito comum o transporte da banana produzida na maior parte das terras atualmente pertencentes ao Município no início do Século 20. ‘‘Além do turismo, que sempre foi o carro-chefe, a banana e a pesca eram os principais meios de subsistência dos moradores, o que mantinha a cidade. Na época, não havia nada aqui, apenas núcleos de pescadores, que também atuavam na cultura da fruta’’, salientou.
  
Segundo a historiadora, os troles foram o principal meio de transporte de cargas agrícolas em Guarujá entre as décadas de 1920 e 1950, até o surgimento dos caminhões automotores. As ocupações eram raras, ainda. Além do histórico Grande Hotel de La Plage, cercado pelas casas de veraneio da alta sociedade, havia habitações próximas às praias das Astúrias e Guaiúba; no Itapema, hoje Distrito de Vicente de Carvalho; e na Praia do Perequê.
  
‘‘Há um fato interessante: a banana era tão importante na economia de Guarujá naquela época que havia a eleição da Miss Banana’’, lembrou Mônica. O Jardim Santo Antônio, assim como a maioria dos bairros atuais da Cidade, eram na verdade um imenso bananal. Nos dias atuais, porém, ruas, casas e edifícios soterraram estes e outros detalhes da história que, ao contrário de prédios e outras construções, passíveis de restauração e visitação, não podem ser expostos ao público.

PREJUÍZO

‘‘Eu acho muito bonita essa descoberta. Infelizmente, a evolução destrói. É uma pena não ser possível restaurar e resgatar isso, mas a foto da época mostra que aquilo existiu, uma prova concreta da história da Cidade’’, afirmou Mônica Damasceno, autora de um livro com apontamentos históricos sobre Guarujá, publicado em 1988.
     
‘‘Não tinha idéia de que seria possível resgatar algo concreto dessa parte da nossa história. Acho que Guarujá ainda pode ter muitas surpresas desconhe-cidas’’, comentou a historiadora.

Loteamento da Prainha é reconhecido
A Tribuna - Sábado, 19 de Maio de 2007, 07:00
Exatos 1.520 moradores da Prainha, em Vicente de Carvalho, receberão da Prefeitura as escrituras dos loteamentos que ocupam. Na tarde de ontem, depois de anos de espera, o sub-procurador-chefe da Fazenda Nacional no Estado de São Paulo, José Roberto Marques Couto, assinou, junto com o prefeito Farid Madi, mais a gerente regional da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), Evangelina Pinho, o contrato de cessão gratuita da área, sob regime de aforamento.
  
O documento permite ao Município reconhecer o loteamento feito pelos próprios moradores. A área em questão tem mais de três quilômetros quadrados e fica entre a linha férrea e o bairro do Paicará. De acordo com o secretário de Planejamento e Gestão Financeira do Município, Mauro Scazufca, até o final do ano serão atendidas pelo menos 500 famílias. ‘‘Cada uma vai receber sua terra conforme o espaço que ocupa. São aquelas que já estão cadastradas e entregaram toda a documentação necessária’’.
  
Scazufca disse que o processo servirá como adiantamento ao Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), pois a região será urbanizada.

SANTA CRUZ E CONCEIÇÃOZINHA

O prefeito lembrou que o Sítio Conceiçãozinha, em Vicente de Carvalho, e Santa Cruz dos Navegantes, às margens do canal da Barra, serão as próximas comunidades beneficiadas com esse processo. Farid comemorou o fim da informalidade para as famílias contempladas.
  
Dez moradores da Prainha acompanharam a cerimônia de assinatura do documento. Entre eles, dirigentes da União dos Moradores da Prainha. O presidente da entidade, Carlos Alberto de Souza, lembrou que a luta pela regularização fundiária se arrastava há 40 anos e começou com seu pai, Josias Alves de Souza, um dos fundadores da Prainha.

fevereiro - 2007
Novo Plano Diretor modifica a geografia política dos bairros, das aproximadamente 100 denominações de bairros, passam a contar agora, somente 29. Sendo 13 bairros no distrito de Vicente de Carvalho 16 em Guarujá.
A Tribuna - Sábado, 24 de fevereiro de 2007, 13:07 - TADEU FERREIRA JR.
Centro, Vila Edna, Vila Alice, Vila Júlia, Vila Lígia, Barra Funda, Santa Clara, Santa Cruz dos Navegantes. Tradicionais, estas e dezenas de outras localidades, apesar de enraizadas no cotidiano popular de Guarujá, deixam de existir com estes nomes, pois ganharam novas denominações com o novo Plano Diretor da Cidade, aprovado pela Câmara em 31 de dezembro de 2006. A nova lei inseriu uma série de mudanças no planejamento da Cidade, desde um novo zoneamento, passando pela alteração da política de verticalização do Município e, finalmente, o abairramento, que nada mais é que uma divisão oficial por bairros.
Determinadas mudanças foram realmente significativas. Uma delas é a extinção do Centro, comum em quase todas as cidades, que passa a ser chamado pelo nome de Pitangueiras. Ou seja, o bairro foi expandido e terá divisas com Astúrias, Enseada e Jardim Santo Antônio. Além do Centro, Pitangueiras acabou absorvendo também a Barra Funda e a Vila Maia, que abriga, por exemplo, o Hospital Santo Amaro.
Os bairros que margeiam toda a Avenida Ademar de Barros passam a ter apenas duas denominações: Jardim Santo Antônio (à direita, sentido balsa) e Santa Rosa (à esquerda). Dessa forma, deixam de existir o Jardim dos Pássaros, Jardim Helena Maria e Vila Lígia.
Áreas carentes e habitadas por comunidades de baixa renda, Areião, Vila Rã e Sossego, por exemplo, tornaram-se Jardim Mar e Céu, vizinho à Enseada. O Tortuga, no final da Enseada, também foi oficializado.
A Vila Zilda e Cachoeira, bairros periféricos fruto de invasões e próximos ao Paço Municipal, absorveram uma série de outras comunidades, como a Vila Santa Clara, Vila da Noite, e até a Vila Edna, esta de grandes proporções.
A populosa Santa Cruz dos Navegantes, reduto de pescadores, rivalizou durante anos com a denominação Pouca Farinha. Nenhuma das duas nomenclaturas vai permanecer. A partir de agora, a localidade passa a se chamar Marinas. O novo bairro compreende também a área do Cing e a Praia do Góes. Ambos os locais reúnem um grande número de marinas, por isso o batismo. Santa Cruz dos Navegantes, a partir de agora, será somente o nome da estrada que corta o bairro.
Bairros de Guarujá: Santo Antônio, Pitangueiras, Santa Rosa, Astúrias, Tombo, Guaiúba, Marinas, Enseada, Jardim Virgínia, Mar e Céu, Tortuga, Pernambuco, Jardim Acapulco, Perequê, Santo Amaro, Guararu.
Bairros de Vicente de Carvalho: Jardim Progresso, Itapema, Parque Estuário, Pae Cará, Vila Áurea, Retroporto, Jardim Boa Esperança, Porto, Conceiçãozinha, Crumaú, Morrinhos, Vila Zilda Cachoeira.
Itapema - começou a ser povoada na primeira metade do século passado
O novo Plano Diretor fez uma homenagem ao nome pelo qual todo o Distrito de Vicente de Carvalho é chamado até hoje, principalmente pelos mais antigos. A região que abriga o primeiro núcleo de povoamento do distrito foi batizada de Itapema.
A área, que começou a ser povoada na primeira metade do século passado, até então era conhecida como Pae Cará Velho. O novo Itapema englobou o Jardim Enguaguaçu, Bocaina, Vila Alice e irá hospedar o futuro Aeroporto Civil Metropolitano da Baixada Santista, já que abriga o Núcleo de Base Aérea de Santos.
Bairros que por pouco não foram extintos, Tombo e Jardim Progresso ficaram como os menores no novo mapa da Cidade. ‘‘Pela tradição da praia, resolvemos preservar o nome Tombo, e não fundi-lo às Astúrias’’, explicou o secretário municipal de Planejamento e Gestão Financeira, Mauro Scazufca.
Sítio Conceiçaõzinha desaparece - Em seu lugar surge o Porto
Outra localidade que sumiu foi o Sítio Conceiçãozinha, terreno da Codesp em área portuária que abriga uma grande favela. A partir de agora, o novo bairro chama-se Porto. A margem direita da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, onde não há loteamentos habitacionais, será o Retroporto. A população também terá de se acostumar com novos bairros que surgiram, como o Crumaú, inabitado, basicamente composto de área de proteção ambiental, formando um triângulo, limítrofe ao Morrinhos - que foi mantido - e ao Retroporto. O vizinho do Crumaú é o bairro do Santo Amaro, também formado, em sua maioria, por mata. Conforme Scazufca, este bairro ganhará evidência quando for implantado o prolongamento da Avenida Dom Pedro I, que o alcançará. A região do Rabo do Dragão, protegida em razão da vasta área verde, possui sítios e pequenos povoamentos essencialmente caiçaras, como o Cachoeira e a Prainha Branca, e passou a ser o Guararu, em alusão à serra que leva este nome. [ Novo mapa do abairramento ]

janeiro - 2007

Lula inicia suas férias no Forte dos Andradas
A Tribuna - Sábado, 6 de Janeiro de 2007, 13:07
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a primeira-dama Marisa Letícia chegaram na noite desta sexta-feira ao Forte dos Andradas, onde passarão férias neste início de ano. A presença do casal mudou a rotina no local. Turistas de várias partes do País, que passam as férias na Cidade, durante todo o dia buscaram informações e tiraram foto da base militar, construída em 1942, na expectativa de ver o presidente de perto.
Uma moradora de Vicente de Carvalho quis entregar um buquê de flores a Lula pessoalmente, mas teve que deixá-lo na entrada. Somente estão autorizados a entrar carros com oficiais do Exército ou os que têm as placas incluídas em uma lista.
Esta é a segunda vez que Lula vem ao Forte dos Andradas. Em abril do ano passado, ele a primeira dama ficaram dois dias hospedados e não foram fotografados por ninguém. A segurança na base militar foi reforçada. Além dos bloqueios por terra,  lanchas da Marinha estão em alerta no mar.
Privacidade. A Tribuna apurou nesta sexta-feira que o presidente já teria deixado expresso que não quer ser incomodado, seja pela imprensa ou por autoridades políticas da região.
A única vontade que ele teria manifestado é um encontro com o presidente do Paraguai, Nicanor Duarte, que também está em Guarujá, no Casa Grande Hotel, na Enseada. Em entrevista realizada ontem, o presidente paraguaio afirmou ainda não ter conhecimento sobre o desejo do colega brasileiro. O espaço aéreo na região do Guaiúba já está interditado.

Novembro - 2006

Orçamento municipal de 2007 será de R$ 503 milhões
A Tribuna - Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2006, 06:56
A Câmara aprovou em primeira votação o orçamento municipal para 2007, estimado em R$ 503,3 milhões. Apenas Luís Carlos Romazzini (PT) e Paulo Piasenti (PTdoB), da oposição, reprovaram. Foi a primeira vez desde o dia 10 de outubro, há mais de um mês, que algum item da ordem do dia do Legislativo foi discutido e votado.
De lá para cá, com o episódio do afastamento dos oito vereadores acusados de integrar o suposto esquema de mensalinho, convocação de suplentes e mais tarde o retorno dos parlamentares, as sessões acabavam encerradas na primeira parte.
A sessão começou tranqüila, mas o tumulto vindo da galeria, ocupada em grande parte por correligionários dos membros da Casa, acirrou os ânimos, sendo que alguns vereadores chegaram a bater boca com populares. Outros trocaram ofensas. Em plenário, situação e oposição discutiram os meandros do orçamento. Três emendas foram apresentadas ao projeto, duas de Helder Saraiva de Albuquerque (PP) e uma da Mesa Diretora.
Veto
A emenda da Mesa propunha a suplementação do orçamento da Câmara (de R$ 19,7 milhões) em até 50%, mas teve parecer contrário da Comissão de Finanças e Orçamento, formada por Piasenti, Romazzini e Marcelo Gaspar (PSDB). ‘‘Houve diminuição no número de vereadores (de 21 para 14, a partir de 2005), mas os gastos aumentaram. O remanejamento proposto não é necessário, porque nenhuma dotação da Câmara estourou, então 50% é um percentual muito grande’’, justificou Piasenti, presidente da comissão. Situacionistas atacaram duramente a rejeição da emenda na tribuna da Câmara. ‘‘É um parecer totalmente ignorante ao que foi pedido. Gostaria que a comissão estudasse um pouco mais a matéria para não fazer coisa errada. É só uma previsão de gasto, não quer dizer que vamos gastar mais’’, salientou Pirani.
Ituo Sato (PTB), acusou a comissão de ter agido de má-fé. ‘‘Ou não entenderam o que está sendo pedido’’, provocou. ‘‘Se ele quer aumentar o remanejamento das dotações, é sinal que está querendo fazer uma previsão de gasto maior para o ano que vem’’, retrucou Piasenti. Depois de muita confusão, a emenda foi acolhida, com os votos contrário de Gaspar, Piasenti e Romazzini. As outras duas emendas ao orçamento municipal são de Helder.
Uma delas propôs que a Câmara seja avisada ao menos com 15 dias de antecedência a cada vez que o Executivo deseje realizar operações de crédito suplementares e outras transações financeiras do gênero. A outra diz respeito a uma pequena mudança na redação de um dos artigos do orçamento. Todas acabaram aprovadas.

Hipermercado Carrefour inaugura nesta sexta feira dia 24 de novembro 2006

O hipermercado Carrefour em Guarujá garantiu emprego para cerca de 850 pessoas da Cidade, de acordo com estimativa da própria multinacional francesa. O diretor regional do grupo, Flávio Azevedo Sá, assegurou que 95% das mais de 900 vagas geradas (300 diretas e mais de 600 indiretas) estão ocupadas por guarujaenses. O Carrefour investiu R$ 30 milhões na construção da loja, na Avenida Dom Pedro I nº 2.131, Enseada. A unidade será inaugurada nesta sexta-feira, às 8 horas. Os dirigentes da rede varejista revelaram que as contratações podem crescer, principalmente temporárias, em razão da proximidade do verão. ‘‘O movimento da loja de Guarujá é visto com grande expectativa por nós. Vamos analisar as necessidades a partir da abertura ao público, mas com certeza vão surgir novas vagas’’, disse o diretor operacional Ricardo Venturini. A empresa francesa trabalha com a hipótese de receber entre 3 mil e 4 mil cliente por dia em Guarujá, estimativa que triplica durante o verão, podendo atingir pico de 10 mil clientes. Desde o anúncio oficial da abertura da primeira unidade do hipermercado em Guarujá, em 1º de agosto passado, milhares de pessoas de toda a região procuraram o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Guarujá, o próprio Carrefour e outros órgãos em busca de emprego. Só o PAT chegou a cadastrar aproximadamente 3 mil fichas de candidatos. O prefeito Farid Madi pediu ajuda ao Carrefour para levar saneamento à Vila Baiana, comunidade carente situada próximo ao hipermercado.

Dezembro - 2006

Esquadrão de helicópteros deixa a Base de Santos em Vicente de Carvalho - Guarujá
A Tribuna - Sábado, 02 de Dezembro de 2006, 07:53 - TADEU FERREIRA JR.
Nem os sisudos semblantes dos mais graduados militares presentes ontem à Base Aérea de Santos (Bast) resistiram à emoção da despedida do 1º Esquadrão do 11º Grupo de Aviação (1º/11º GAv), marcado por uma cerimônia militar na manhã de ontem. O zunido das hélices dos dez helicópteros que por quase 40 anos ecoou nos céus de Vicente de Carvalho, não será mais tão comum aos ouvidos dos habitantes da Baixada Santista.
Os militares marcharam e, misturados aos civis, acompanharam o último exercício dos pilotos formados no chamado Ninho de Helicópteros, sobre o Canal do Estuário. A solenidade contou com a presença de militares das três Forças Armadas do Brasil, e marejou os olhos de donos das mais altas patentes. A partir de segunda-feira o 1º/11º GAv passa a integrar a Base Aérea de Natal (Bant), no município vizinho de Parnamirim (Rio Grande do Norte). A Bast, desmobilizada, se tornará oficialmente um Núcleo de Base - perde status de Base Aérea, se transformando em unidade predominantemente administrativa - a partir de 11 de janeiro de 2007, com a cerimônia de passagem de comando do Coronel Fernando Bezerra para o Tenente-Coronel Jorge Tebicherane.
Novo Ciclo
‘‘Estamos na verdade iniciando um novo ciclo, com projetos que certamente serão destinados a essa área, diretamente sincronizados com os anseios da Baixada Santista, como o Aeroporto Metropolitano, com o compartilhamento da estrutura da Base, que continuará no próximo ano com características administrativas. Enfim, é um novo ciclo que se inicia na relação que sempre foi muito cordial entre a FAB e a Baixada Santista, em especial Guarujá”, salientou o Major-Brigadeiro Aprígio de Moura Azevedo, comandante do 4º Comando Aéreo Regional (Comar).
O comandante da Bast, que em 2007 segue para o Rio de Janeiro e no ano seguinte para os Estados Unidos, agradeceu ao efetivo de 800 militares da Bast, dos quais 400 vão para Natal. ‘‘É um marco histórico para a Força Aérea, que estava estabelecida aqui há 39 anos. Trata-se de uma mudança significativa, não é momento de alegria, nem de tristeza, mas solene, e marcante para a população da Baixada Santista, que conviveu com o barulho dos nossos motores por tanto tempo’’, definiu.
Segundo Bezerra, no princípio de janeiro todo o esquadrão já deverá estar em Natal, iniciando a instrução dos novos aspirantes a piloto e mecânicos de helicóptero. A partir de julho de 2007, mais 200 homens deverão ser desmobilizados da Base Aeroporto.
Aeroporto Civil Metropolitano
O comandante Azevedo apostou na aceleração da instalação do aeroporto civil metropolitano, a partir da garantia de permanência do corpo militar em Vicente de Carvalho. ‘‘Vai facilitar. Um exemplo cristalino da nossa participação no nascimento do aeroporto é o controle do tráfego aéreo, feito por nós, e que continuará sendo feito’’, apontou.
O 4º Comar recebeu há alguns dias o projeto do Plano Diretor do aeroporto, que já está sendo analisado. ‘‘Recebi pessoalmente a proposta de revisão do Plano Diretor, encaminhado pela Prefeitura. Estamos de mangas arregaçadas trabalhando sobre essa nova proposta, que vai seguir para o Estado Maior da Aeronáutica, em Brasília, responsável pela aprovação. A partir daí o processo de instalação se iniciará’’, explicou Azevedo, que não mencionou prazos para a concretização do sonho do vôo inaugural. ‘‘É uma tarefa de envergadura’’.
O comandante do recém-criado Núcleo de Base, Tenente Coronel Jorge Tebicherane, assume logo no início do ano que vem. Apenas dois aviões ficam em Guarujá após a desmobilização. O prefeito Farid Madi lamentou a saída do 1º/11º GAv. ‘‘A gente fica triste porque o curso de pilotos está saindo daqui, mas as coisas vão mudando, não necessariamente estamos perdendo. Avançaremos na facilitação da instalação do aeroporto, e além do mais a desmobilização já estava programada pela Aeronáutica para acontecer, afirmou.

Saiba mais
Instalada na antiga Vila da Bocaina, a área ocupada pela Base Aérea de Santos foi incorporada ao Ministério da Aeronáutica em 1941 e, a partir da década de 60, a unidade ficou conhecida como Ninho dos helicópteros, propiciando treinamento e formação de pilotos e mecânicos nesse tipo de aeronave. Durante a Segunda Guerra Mundial, pilotos da Base participaram de operações de patrulhamento do Atlântico Sul contra as forças do Eixo. Desde então, as aeronaves participam de operações de salvamento no mar e em terra, como no incêndio do edifício Joelma, na Capital, em 1974.

Condephaat aprova Parque Itapema
A Tribuna - Terça-Feira, 5 de Dezembro de 2006, 08:23
O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat) aprovou o projeto do Parque Itapema, que transformará o Forte do Itapema e toda a área em seu entorno num amplo complexo de lazer. Isso significa que o projeto da Prefeitura, comprovadamente, não deverá interferir na estrutura do monumento datado do Século 16, e nem comprometê-lo arquitetonicamente.
O ofício ao Condephaat havia sido expedido em julho, mas a resposta chegou somente em novembro. Agora, o acesso aos R$ 4,9 milhões que o Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (Dade) deverá liberar para o início da construção do parque está mais próximo. A aprovação do Condephaat era uma exigência do Dade, e a verba é de um convênio de 2005.
‘‘Estamos aguardando novos pedidos de documentos, mas já é um grande passo’’, salientou a arquiteta da Secretaria de Planejamento e Gestão Financeira de Guarujá, Renata Gaspar. ‘‘Tudo o que for feito num raio de 300 metros em volta de um patrimônio tombado é analisado pelo Condephaat. Fosse uma edificação alta, ou algo que necessitasse um bate-estaca, por exemplo, fatalmente seria reprovado. Mas o Parque do Itapema não prevê impactos nestes sentidos’’, destacou.
Em entrevista realizada em novembro passado, o prefeito Farid Madi afirmou que o repasse do Dade deve entrar nas contas da Prefeitura já no ano que vem. Mas Renata advertiu que o dinheiro não será suficiente para a conclusão do projeto. Explicou que os trabalhos serão feitos com os R$ 4,9 milhões liberados e só quando terminar este dinheiro é que poderá ser feito novo convênio para o envio de mais recursos para o término das obras.
A construção do Parque do Itapema, porém, depende de acerto com a Codesp, detentora do uso dos terrenos que rodeiam o Forte, pertencentes à União. Essas áreas vão abrigar parte da estrutura a ser erguida. Farid revelou que a Secretaria de Patrimônio da União (SPU) já aceitou uma área municipal em troca, restando apenas o posicionamento da Codesp. ‘‘Está tudo bem adiantado’’, classificou a arquiteta.
Projeto
O Parque do Itapema seria o primeiro grande equipamento de lazer do Distrito de Vicente de Carvalho. Às margens do canal do estuário, a estrutura que a Administração Municipal pretende erguer é grande, e incluiu um pavilhão de exposições, bar e restaurante, um pier, auditório multiuso que pode ser adaptado para teatro ou cinema, além de um grande espelho de água salgada. No total, serão 41 mil m2 quadrados.
Quatro edifícios construídos há quarenta anos, e que estão abandonados, serão recuperados para o uso múltiplo, cultural e de lazer. O projeto prevê, ainda, a recuperação dos telhados, paredes, pisos e instalações, preservando as características rústicas das construções. A área receberá cobertura de grama e plantio de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica.
Serão instalados ainda bancos, mesas e banquetas pré-moldadas de concreto, playground, equipamentos de ginástica e quadras poliesportivas. A partir da cessão do monumento, programada para acontecer numa segunda etapa, deve ser criado também um museu que contará a história da fortaleza.

http://www.guaruja1.xpg.com.br     Contato